Dica da semana | App pomodoro

Sabe aquela dica amiga? Então essa eu peguei com vocês!! A um tempo atras eu liberei um video que vocês queriam muito sobre a técnica pomodoro de “concentração”, que consiste em marcar um certo tempo para que você possa se dedicar exclusivamente a uma única tarefa.

Assista o video aqui

E foi nesse video que eu peguei algumas dicas bem legais com vocês de app para usar seguindo a técnica pomodoro. E o primeiro que a gente vai falar aqui é de um bem simples, o App BeFocused. Na verdade eu procurei por pomodoro na App Store e apareceram muitos app nesse estilo. Esse foi um que eu baixei e gostei muito do layout e achei bem simples de usar.

Como eu disse o app tem o layout simples e é basicamente um timer para você se manter focado. A ideia é você listar as tarefas que precisa fazer e ir “dando play” nelas a medida que for realizando outras.

Cada “play” corresponde ao inicio do seu pomodoro, então você não precisa ficar checando o tempo nem vendo se está cumprindo direito. O app te avisa quando cada pomodoro é cumprido e também sobre o inicio o termino de cada intervalo.

Uma coisa que eu achei legal é que você pode personalizar seu app do seu jeito. Colocar o tempo de foco, o tempo do intervalo curto e do longo e também quantos pomodoros você precisa cumprir para começar a contar o seu intervalo maior. Ahh, e o “target” ali é super importante!! Ele indica quantos intervalos por dia você terá, ou seja, quanto tempo será o total do foco naquela tarefa. 

E para finalizar o app te da gráficos de como anda seu foco, sua dedicação. Assim você consegue ter o controle de onde precisa melhorar e como fazer isso.

Agora que eu vou começar meu college eu estou bem empolgada para usar o app para estudar. Prometo fazer um video sobre isso depois de um tempo, já que tenho bastante app do estilo para testar hahaha. Que acham de um video comparativo??

 

SalvarSalvar

Continue Reading

Começando um novo Bullet Journal!

Oi gente, tudo bem com vocês!

Bom, depois do post de sexta em que pude me apresentar pra vocês e dos dois posts sobre Materiais para Lettering (aqui e aqui), eis que chega a hora do meu primeiro post como colaboradora aqui do blog! E nele também vou falar sobre coisas novas: como começar um novo Bullet Journal!

Sabe aquele momento em que o caderninho do BuJo vai acabando e vem um misto de desespero e alegria de comçar algo novo? Pois é, este é o assunto da vez: começando um novo Bullet Journal! As dicas deste post são principalmente pra quem já tem um BuJo e vai começar outro, mas valem pra qualquer pessoa que quer iniciar nesse mundinho tão incrível! Vamos às dicas!

Primeiro: o suporte.

Sabemos que existem vários lugares pra se fazer um Bullet Journal e que qualquer caderninho pode ser o ser melhor amigo para a hora da organização. Mas o mais importante é que você deve estar feliz com a escolha que fez. Muitas das vezes (e digo por experiência própria) acabamos desanimando com o BuJo por ele não atender as nossas necessidades da melhor forma e o suporte pode sim ser a “causa” desse sentimento.

Meu primeiro Bullet Journal foi um caderno de sistema Discbound. Na época que estava querendo começar um BuJo acabei me deparando com a magia dos discos e da mobilidade de páginas. E comprei um Arc, da Staples. No início tudo eram flores. Comecei usando as próprias folhas pautadas e depois passei a imprimir as folhas pontilhadas e furar de um jeito bem improvisado. Comprei um furador importado de um furo só (porque no Brasil eu não conseguia achar em um preço que eu conseguisse pagar) e até então estava tudo bem. Mas comecei a ficar imensamente frustrada com várias coisas e acabei deixando o Bullet Journal de lado. Foi aí que eu realizei que o problema não era o método, era o suporte.

Percebi que um Arc não era mais o ideal para o que eu queria (mas calma! Não abandonei o coitado, agora ele é meu caderno do mestrado, haha!). Esperei as folhas que já tinha furado acabarem e decidi partir para um caderno normal. Imprimi folhas pontilhadas, procurei tutoriais na internet (inclusive a Fê tem um canal! Só acessar aqui) e estava feito meu segundo Bullet Journal. O caderno normal supriu tudo que eu precisava e é o suporte que ainda uso: vou pro meu terceiro Bullet Journal, um caderno pontilhado, mas comprado desta vez.

Obviamente podemos trocar o suporte do Bullet Journal a hora que quisermos, mas a transição pode ser o melhor momento pra isso se a ainda bate aquela dúvida do que fazer. Então, quando seu BuJo estiver quase no fim, pode ser um bom momento pra avaliar essas questões e já preparar tudo para a mudança!

Revise a sua organização atual.

Ao iniciar um novo Bullet Journal é muito importante revisar tudo aquilo que já foi feito e selecionar o que vai ser repetido no próximo. Sempre se deve fazer as perguntas: o que eu quero mudar? O que eu quero manter? O que quero manter mas fazer de um jeito diferente? Tenha em mente que o mais importante é que o BuJo atenda às suas necessidades. A melhor forma de organizar essas questões é listar cada uma delas! Que tal um spread pra isso?

No meu primeiro Bullet Journal houve vários spreads que eu fiz e nunca usei. Na hora da transição pensei “ah, talvez eu possa usar dessa vez” e vários foram repetidos. E adivinhem? Continuei sem usar. Portanto, pratique o desapego! Mesmo que em algum momento você precise desse spread e precise fazê-lo, é melhor que seja por necessidade. Confesso que, inclusive, alguns dos elementos considerados “regra básica” do Bullet Journal nunca funcionaram pra mim e eu tirei eles do meu BuJo atual porque percebi que era só desperdício de página (puristas, perdoem-me, haha!).

Mas também existe outra possibilidade: continuar usando alguns spreads no seu antigo Bullet Journal e não migrar algumas coisas. Isso vai de cada pessoa! O mais importante é fazer aquilo que faz sentido pra você. A análise deve ser feita de acordo com aquilo que vai ser melhor para o seu jeito de se organizar. Aproveite esse processo para revisitar seu Bullet Journal e relembrar momentos! É algo muito prazeroso e que vai render bons resultados.

Aproveite para tentar coisas novas!

Sabe aquele spread lindo que você salvou no Pinterest mas nunca tentou fazer? Ou aquele Future Log que você achou justo quando acabou de fazer o seu? Essa é a hora de colocar tudo em prática. Ok, pode ser que seja um spread que vá cair na sua próxima transição, mas nunca sabemos o que serve pra nós sem tentar, certo? Revisite suas referências, seus perfis favoritos de Bullet Journal no Instagram, veja o que você salvou no Pinterest e procure novas imagens. É renovador, e claro, divertidíssimo (na minha opinião).

Tenha calma no processo!

Pode ser que você não consiga ter todo o seu Bullet Journal montado tão rápido quanto você gostaria. Quando tiver seu novo BuJo em mãos, preocupe-se com os spreads principais que você vai precisar, como Future Log, Monthly Log, organização semanal e diária, entre outros. Selecione o que será essencial pra você quando passar a usar o novo BuJo e dê prioridade para estes elementos. Não tenha pressa de ter um BuJo inteiramente pronto, com todos os spreads migrados, isso será um processo delicioso, que pode sim demorar, mas que vai valer a pena.

Já faz cerca de um mês que estou com meu Bullet Journal novo e comecei com o mês de agosto. Mas estou longe de ter tudo pronto. E confesso, não tenho pressa para terminar. Fiz todos os spreads mais importantes pra mim, separei algumas páginas antes da organização mensal para alguns que ainda que quero trazer do antigo e estou aproveitando pra fazer tudo do melhor jeito possível, sem pressa e sem atropelos. E está sendo o BuJo que eu estou mais aproveitando, acreditem! Não tenham pressa, aproveitem cada passo.

 


 

E essas são as minhas dicas! Eu tenho gostado muito de poder fazer um BuJo novo. Não tenha medo das páginas em branco, elas podem trazer muitas coisas incríveis pra você!

Eu espero que vocês tenham gostado desta estreia (confesso que eu fiquei nervosa! Haha!) e aguardem que em breve tem mais post!

Alguma dúvida? Sugestão de post? Só comentar aqui em baixo!

Beijo beijo e até a próxima!

 

Instagram: @camila.bisson

Twitter: @thesparksoffire

Continue Reading

Inspire-se | Cheklist de viagem

Oi oi gente!!! Socorroooo!! Eu chego hoje no Canadá hahahaha. Essa ultima semana foi correria total e eu acabei me enrolando com muita coisa que eu queria fazer. Uma delas era uma checklist. Eu amo fazer listas, mas infelizmente como foi tudo muito rápido e cheio de coisas para resolver eu tive que arrumar minha mala no improviso mesmo, sem checklist nem nada. Claro, fiz alguns poucos de coisas pequenas que não podia esquecer, mas um geralzão mesmo eu não fiz.

Pensando nisso, como não pude compartilhar a minha checklist com vocês resolvi fazer um post inspiração que checklist’s lindas de viagem para a gente fazer no bullet journal.

Essa minimalista foi minha favorita!! Essa é para aquelas pessoas que amam um doodle!! E ai, gostaram das ideias?? Confesso que fiquei chateada de não conseguir fazer uma, e com essas inspirações então… Mas eu usei algumas delas para me lembrar de coisas que eu estava esquecendo hahaha, então de certa forma elas me ajudaram.

Continue Reading

Me conta aqui…Camila Bisson

Hoje finalmente eu estreio um novo quadro aqui no blog, e como eu estou feliz com isso. Pensei nesse quadro com tanto carinho e ver ele sendo realizado me deixa extremamente realizada, ainda mais sabendo que vai passar muita gente linda por aqui.

Bem vindos ao Me conta aqui

A ideia desse quadro é trazer muita gente linda para falar de assuntos variados, organização, planner, viagens, vida, trabalho… Quero poder compartilhar com vocês algumas pessoas que eu sigo, que eu admiro, que eu acho que tem muito o que falar por aqui. Espero muito que vocês curtam esse quadro. Ele pode vir como no formato de hoje, onde a própria pessoa vai escrever seu post contando um pouco de algum assunto, ou em formato de entrevista.

E hoje eu inauguro esse quadro com uma pessoa que, nossa.. Conheci a Ca por acaso no instagram, ela me seguia e eu resolvi stalkear o perfil dela (sim faço isso com frequência com vocês) e descobri o quão talentosa ela é. Não vou falar mais nada, leiam o post dela. E no final, descubram mais uma novidade do blog de agora em diante….


 

Oi pessoal! Tudo bem com vocês?

Meu nome é Camila, tenho 25 anos e moro em São Carlos interior de São Paulo. Sou Ilustradora, Designer e Pesquisadora na área de Games (atualmente faço Mestrado na Universidade Federal de São Carlos). Adoro fazer crochê e ilustrar no meu Bullet Journal nas horas vagas. AMO (sim, com letras garrafais) café e sempre me aventuro na cozinha.

A Ilustração é algo presente na minha vida desde  um momento que ao certo não consigo me lembrar. Lembro apenas de, quando ainda bem pequena, sair correndo pra mostrar pra minha mãe uma serei a que eu tinha desenhado porque era a primeira vez que tinha conseguido fazer uma mãozinha com dedos.

Sabe aquela garota que passa horas e horas nas aulas desenhando no caderno? Eu era essa garota, desde sempre. Desenhar sempre foi algo que me preencheu de uma forma quase que inexplicável. Um hobby. Um amado hobby. Mas mal sabia eu, ao desenhar nos cadernos, a proporção que a Ilustração tomaria na minha vida.

Acho que eu tinha cerca de 15 anos quando comecei a me interessar por fotografia (durante a faculdade cheguei a trabalhar na área). E o que a fotografia tem a ver com tudo isso, além de ser algo que adoro até hoje? Pois bem. Foi a fotografia que me levou a um curso de audiovisual. E foi na faculdade que eu descobri que o hobby que eu tanto amava poderia se tornar a minha profissão.

Foi a paixão pelos games que me fez enxergar que todos os cadernos nos quais eu tinha desenhado sem parar tinham feito toda a diferença. Descobri que criar jogos era algo que eu poderia e queria fazer. Descobri que queria fazer sim arte, mas não exatamente só com uma câmera, mas sim com traços e cores. Também na faculdade descobri minha paixão pelo design.

A certeza se firmou quando comecei efetivamente a trabalhar na área. Em um estágio que durou metade da graduação me encontrei Ilustradora, Designer e Animadora.

Mas a verdade é que tudo aconteceu tão naturalmente que só me dou conta de tais transformações quando paro para pensar e falar sobre isso. E bom, tudo em um trabalho criativo é transformação. Transformação, inspiração e transpiração, claro.

Uma das melhores e piores partes de lidar com a criatividade é justamente a própria criatividade. É absolutamente mágico poder com seu trabalho dar mais cores e alegria para o mundo, mas, ao mesmo tempo, é absolutamente angustiante não ter aquele sopro de genialidade, ou aquela ideia perfeita na hora certa (afinal, sempre achamos que uma ideia não basta, ela deve ser PERFEITA – mas nem sempre é). Sem contar claro, a frustração de imaginar algo absolutamente incrível(!) e na prática não ser bem assim…

Como toda atividade que realizamos na vida, lidar com a arte, mesmo que você ame aquilo que faz, tem seus momentos difíceis.  Mas tudo vale a pena. Tudo vale quando você consegue, com o seu trabalho, dar vida à uma ideia. Lidar com todos os tropeços  e obstáculos do processo é normal! E mais do que isso: é aprendizado. E criar é algo diretamente ligado com aprender.

Aprender todos os dias é meu lema desde que me reconheci Ilustradora: “seja 1% melhor todos os dias” é o que sempre penso. E é esse o motivo pelo qual me esforço todos os dias. Não deixo de pelo menos rabiscar algo um dia que seja, nem de sempre procurar inspirações e referências. Tudo é inspirador: ilustrações, fotos, trabalhos gráficos, jogos, animações. TUDO. E nunca se deve parar de buscar aquilo que vai te fazer ser melhor naquilo que você ama e quer fazer.

Não, eu não acho que sou a Ilustradora que desejo ser. Mas acredito que o processo é assim.  Talvez eu nunca seja e isso é bom. Na verdade, isso é MUITO bom. Não devemos nunca nos bastar naquilo que somos e fazemos, afinal, se acomodar é deixar de aprender. Acredito fortemente que aprendizado é combustível e que nunca sabemos tudo: sempre há algo novo pra se ver e absorver.

 


 

Talvez vocês estejam se perguntando: aonde essa conversa vai chegar? Pois bem, essa conversa terá vários e vários desdobramentos a partir de semana que vem. É com este texto que me apresento pra vocês e inicio uma fase que me deixa absolutamente feliz e honrada: a partir de um convite da nossa querida Fê, vou ser colaboradora aqui do blog! Serão posts quinzenais sobre Ilustração, Design, inspiração, criatividade e claro, Bullet Journal!

Então, espero vocês semana que vem!

Beijo beijo e até a próxima!

 

 

Instagram: @camila.bisson

Twitter: @thesparksoffire

SalvarSalvar

SalvarSalvar

Continue Reading

Preciso de empresa de intercâmbio?

Oi oi gente!! A pergunta que eu mais me fiz quando estava decidindo todo esse processo era se eu deveria ou não procurar uma empresa de intercâmbio, e eu acho que essa pergunta atormenta muita gente em qualquer tipo de processo de escolha de intercâmbio.

Quando eu e o Bruno decidimos que seria o Canadá a gente procurou empresas que trabalhassem mais especificamente com o tipo de processo que queríamos, que era a imigração. Fomos em duas aqui em Bh e foi maravilhoso. A gente conseguiu tirar muitas duvidas, entender como funcionava o processo, o que a gente precisava. Nos dois escolhemos por ter a 3RA como nosso auxilio, e foi uma decisão muito bem pensada.

Contratar uma empresa de intercâmbio requer um dinheiro a mais que muitas vezes a gente não está contando, mas por outro lado te da uma segurança maior de que o seu processo está sendo bem orientado. Existem muitos fatores que você tem que pesar nesse caso, dinheiro, contato, se a empresa é boa, se você consegue fazer tudo por conta própria…

O processo que fizemos | matricular em um college e requerir o visto | é relativamente tranquilo, você mesmo consegue entrar em contato com a instituição e fazer o pedido, e o mesmo quanto ao visto (essa segunda parte fizemos sozinho e eu irei falar disso em outro post). Mas você ter alguém que saiba te orientar em momentos de duvida é muito bom.

Resumindo, você precisa de uma empresa de intercâmbio? Não, você consegue fazer tudo sozinho desde que, se organize e planeje tudo para que nada dê errado. Mas a contratação e uma empresa dessas te da mais segurança quanto ao andamento do processo. Além disso a 3RA sempre nos ofereceu ajuda quanto a sanar nossas duvidas e orientar em vários outros aspectos. Ai fica ao seu critério se vale a pena ou não.

Eu indico a 3RA para vocês, nunca tive problemas com eles, sempre fomos bem atendidos. Ainda temos o apoio que a empresa oferece quando chegamos lá, e ao longo desses anos de estudo vou contando para vocês como vai ser. Fomos atendidos pela Magna aqui da unidade de Bh e ela foi uma gracinha com a gente. Então se alguém precisar procure por ela e fala que foi indicação aqui do blog.

SalvarSalvar

Continue Reading