Os desafios do novo

Dia 16 de novembro agora fez três meses que chegamos aqui no Canadá. É engraçado como o tempo é algo relativo para cada um né? Para mim parece que já estou aqui a um ano, tanta coisa aconteceu… Mas muitos familiares e amigos me mandaram mensagem falando o quanto parecia que tinha sido outro dia. Mas não foi para falar sobre o tempo que sentei aqui para escrever, foi para falar do quanto “o novo” pode ser desafiador as vezes.

Quando começamos a planejar tudo isso procuramos informações em tudo que é lugar, anotamos dicas, valores médios que as pessoas gastavam, o que fazer e o que não fazer… Foram longos meses planejando para que tudo saísse bem correto e não tivéssemos nenhum imprevisto. Que doce ilusão achar que as coisas seriam simples e sairiam como planejado.

Os planos foram por água a baixo logo na primeira semana quando vimos que os alugueis estavam bem mais caros do que havíamos pesquisado e achar um apartamento era uma corrida (quase literal) contra todos e o tempo. E por mais que havíamos assistido todos os videos sobre o assunto no youtube e pesquisado tudo que existia de informação, muita coisa foi diferente. Ninguém te ensina qual o melhor banco, quando pedir cartão de credito, quanto custa e como comprar o ticket do metro, qual produto escolher no meio de tantas opções novas no supermercado.

Mesmo que você já tenha lido de tudo é inevitável você não sentir aquela pressão de “não sei o que estou fazendo, será que tem alguém olhando?”, “se eu errar da para consertar?”, “será que eu preciso dar sinal para o ônibus parar?”. A gente se pergunta tudo nas primeiras semanas, até se pode ou não andar com o cachorro na rua, afinal, país novo regras novas. E aos poucos você vê que nem adianta seguir plano mais, porque tudo aconteceu de forma diferente do que você tinha em mente.

Nessa horas bate aquela tristeza e pensamentos como “porque decidimos isso mesmo” ou “será que fulano tinha razão de isso ser loucura” passam pela cabeça o tempo todo. Cada não ouvido na procura de apartamento, cada dinheiro que gastamos sem estar no planejamento aumentam o desespero de não saber se as coisas vão dar certo. Isso se soma a angustia de estar longe de casa, de não ter os pais ali do lado para pedir ajuda.

Inclusive família nesse periodo nem sempre ajuda. Toda ligação tem aquela famosa pergunta “vocês estão bem?”, “comeram direito?”, “vão sobreviver?”. A gente vê no olhar daqueles que amamos a preocupação com nossa saúde e a incerteza de se eles estão certos em apoiar essa loucura. E as vezes a gente esconde uma decepção ou outra só para não ter que explicar (até para você mesmo) que isso faz parte e tudo na vida é difícil de alguma forma.

Sorrimos, dizemos que está tudo bem, falamos das coisas lindas que vimos por aqui… as vezes amenizamos um probleminha ou outro para não deixar ninguém mais preocupado ou desesperado (que nós mesmos até). Mas quem nunca amenizou algo por amor ou para não preocupar alguém? Isso se soma aos familiares e amigos que só veem as fotos do Instagram e do facebook e acham que a vida aqui está fácil e somos sortudos de viver felizes e sem problemas.

Não me entenda mal, se não fossem as conversas com meus pais e irmãs, as risadas por FaceTime em momentos de festa (mesmo não estando presente fisicamente e não podendo abraçar o aniversariante) as duvidas seriam maiores. São esses momentos que te fazem esquecer por 5 minutos qualquer probleminha que tenha dado errado. Ao mesmo tempo eles são o alívio que te fazem ter forças para continuar e o tormento de ter que explicar porque comeu pizza a semana toda.

O novo sempre dá medo, seja ele de uma pequena mudança ou algo grande como mudar de país e tentar a vida. Aprendemos que muitas contas aqui são pagas por “money order” (um tipo de cheque especial), que aqui se usa só cartão de credito para construir credito no país e conseguir coisas boas futuramente, que dizer “sorry”, “excuse me”, “please”, “i would like” são mais que obrigação e se você não diz é bem feio, que usar guarda chuva em toronto é pedir para o vento quebrar ele… tanta coisa que aprendemos em três meses, e tantas que ainda não descobrimos como fazer.

Cada dia acaba sendo uma aventura e cada nova duvida o medo volta a bater. Mas quem disse que seria fácil? Se está fácil está errado, não é assim? Hoje temos casa, emprego que pagam as contas, amigos novos, experiências incríveis para contar e muitas duvidas. Ainda temos muito que construir, não temos a vida perfeita que queremos (apesar de fotos de paisagens lindas e momentos legais mostrarem isso para quem realmente não sabe do que se passa), mas tudo vem com o tempo, se chegamos até aqui podemos continuar e tentar melhorar sempre. O novo é sempre desafiante, e é ele que está fazendo a gente vencer cada dia e chegar onde queremos, afinal, se não aceitássemos o desafio dessa “nova vida” não estaríamos aqui não é verdade?

SalvarSalvar

Continue Reading

Não consigo!

Não diferente de varios outos posts que eu fiz aqui no blog, o assunto de hoje surgiu de comentários de vocês, mais precisamente de um único tipo de comentário: “Queria ser organizada assim como você, mas eu não consigo!!” Vamos falar um pouquinho sobre isso?
A um tempo atras eu fiz um texto aqui sobre positividade eu nele eu falava sobre como pessoas negativas atraem coisas ruins e acabam sempre frustadas, e eu acho que essa frase ai de cima tem um pouco disso.
A gente sempre estabelece metas no início do ano né? Ou quer mudar alguma coisas na vida, seja alimentação, pratica de exercícios, estudos, organização… quantas vezes a gente não fala “dessa vez vai ser diferente” e acaba não sendo?? Já parou para pensar no porque nunca é? Vou dar um exemplo meu para vocês.
Faz uns dois ou três anos que eu falo que preciso melhorar minha alimentação, fazer atividade física. Faz esse tempo todo que eu não estou feliz comigo mesma. Ai eu parei para pensar no porque nada muda, e eu descobri que eu usava a frase “eu preciso, mas não consigo”. Porque eu não consigo, será que eu tentei? E eu descobri que não, eu nunca tentei de verdade. Eu começava, e começar é fácil, todo mundo começa algo sempre. Mas eu nunca continuava porque eu nunca me esforcei de verdade. No primeiro pedaço de pizza, no primeiro pão, no primeiro chocolate ou naquela preguiça de subir a rua para ir na academia.
Só faça o seu melhor
Agora eu pergunto para vocês, vocês tentaram realmente? Do tipo difícil mesmo, de dar errado e tentar de novo. Mudar nunca é fácil, pelo contrario, mudar é mais difícil do que aprender algo novo, porque mudar envolve eliminar um habito que já existe e está enraizado ali. Se você é uma pessoa desorganizada não é na primeira semana que você colocar suas tarefas no papel ou arrumar seu quarto que vai funcionar. Digo isso porque eu sou essa pessoa organizada e nem assim tudo meu está no lugar.
Como eu disse, mudar é difícil, mas se torna algo impossível quando a gente já começa com “não consigo”. O não consigo é a trava que você precisa para não fazer, é a desculpa que você tem para nem tentar, porque afinal, tentar requer esforço, requer frustação, e a gente não quer isso né? Por isso sempre que você quiser mudar algo ou tentar algo novo não pense que você não consegue, pense sempre Eu consigo!!
Tente, tente e tente de novo
Elimine a palavrinha não do seu pensamento. Tente. Se der errado, recomece, busque novas alternativas, persista e não insista. Comece com passos pequenos, troque um habito de cada vez, escolha começar por coisas pequenas e tente. De degrau em degrau a gente alcança o que a gente quer.
 

SalvarSalvarSalvarSalvar

SalvarSalvar

Continue Reading

O ano da positividade

Vou começar esse post com essa frase linda que eu achei no pinterest em um dia que eu estava duvidando muito de muitas coisas.

Se eu te perguntar agora qual o seu sonho nesse momento, você sabe me responder?? E se eu te disser que ele vai ser realizar logo, qual o seu primeiro pensamento?? Foi um empecilho ou algo que você pode fazer para isso se realizar? Pois essas respostas mostram grandes diferenças, e isso pode mudar tudo.

O copo está meio vazio

Eu sempre fui uma pessoa negativa. Mas negativa mesmo, de se você me disser que a gente vai no shopping eu já colocaria horário ruim, transito, preguiça de arrumar, shopping cheio, e até chuva. E sabe o que é pior?? Chovia. Não só no sentido literal. Eu já tinha criado tanto empecilho que nem valia a pena sair, já tinha caído uma tempestade e o passeio escorreu com a água.

Quando você é uma é pessoa pessimista e negativa você drena a energia dos outros sem sentir. Quer ver? Vou chegar e te chamar para tomar um sorvete, e logo você diz que está frio demais | mesmo não estando |, a sorveteria é longe, o sorvete lá é muito caro e nem sempre tem o que você gosta. Só de pensar na situação eu desanimei, e confesso que o gosto ficou amargo, eu nem quero sorvete.

A gente, na maioria das vezes, não faz isso por querer. Ninguém quer roubar a energia dos outros, deixar a pessoa pra baixo de propósito (ta eu sei que tem gente que é assim mesmo, não é esse caso). Mesmo sem querer, um pessimista drena tanto a energia que ele acaba fazendo com que as pessoas que convivem com ele fiquem exaustas, e compartilhem daquele sentimento ruim que a negatividade traz.

Eu sei, é difícil ser positivo sempre, ninguém consegue. Mas você já tentou hoje? Coisas simples, como acordar e ver aquele dia nublado, que você não queria, e colocar uma camiseta por baixo da blusa de frio torcendo para que o sol abra. POSITIVIDADE atrai!

O copo está SEMPRE meio cheio

Uma vez eu falei aqui que tudo tem seu momento para acontecer, mas não fica ai sentado achando que vai acontecer sozinho não. A gente precisa correr atras e acreditar. Ser positivo é uma tarefa diária, que envolve muito esforço, para os desacreditados por ai. A lei da atração é verdadeira. Se você é essa pessoa negativa, sempre pessimista, olha em volta e você verá que ao seu redor tem muita gente assim. Pode ser porque você atraiu eles, ou em algum momento ruim você se sentiu atraída e ficou ai, presa.

Esse ano eu escolhi a palavra POSITIVIDADE para reger os meus dias. Como eu disse ai em cima, esse texto tem muito de mim. Eu via os efeitos da minha negatividade nos meus amigos e isso me deixava tão mal que eu resolvi tomar uma atitude. Ainda é difícil, não vou mentir. Sempre quando alguém me convida para algo, ou alguém fala de um dos meus sonhos minha cabeça gira direto para as coisas ruins. Mas eu aprendi a respirar.

Respirar e respirar de novo. Agora pensa na parte divertida, na companhia, no quanto aquilo ali é legal, se não para você para aquela pessoa. E são esses pensamentos que vão reinar. Antes eu reclamava que nada acontecia para mim. Claro, eu não deixava nada acontecer, sempre tinha um problema que se tornava grande demais. Hoje eu tenho tanto para agradecer.

Depois que eu passei a reclamar menos, colocar menos empecilhos e tentar ver tudo do lado do copo sempre cheio as coisas fluíram. A preguiça se torna companheira sim, mas ela sabe os momentos de se retirar e deixar você viver. Os sonhos, dos pequenos aos grandes, foram se concretizando, e eu fui atraindo coisas boas e energias maravilhosas.

Engraçado que 2016 foi um ano que eu tentei muito ser positiva, foi o começo da mudança maior. E foi um ano completamente incrível. 2017 mal começou, e logo na virada eu escolhi a positividade para me guiar, e caramba, já posso fazer um pote cheio de gratidões e coisas maravilhosas. Outras nem se concretizaram, mas já são um presente só de terem chegado até onde estão.

Pequenas atitudes como parar de reclamar de coisas simples, tentar pensar em algo bom antes de algo ruim já são um bom começo. Você não precisa ser radical, e você nem vai conseguir. Mas primeiro acredite em você. Faça uma lista de coisas boas, pequenas atitudes, pequenos momentos. Sempre que se sentir pra baixo e achar que esta tudo ruim leia essa lista. Inunde seu pensamento de coisas boas, e continue.

O caminho não é fácil, pelo contrario, ele é muito difícil. Mas ele se torna divertido quando ao invés de chutar uma pedra no caminho ou sentar e reclamar que ela é grande demais para remover, você usa-la para construir o seu castelo. ACREDITE, o copo sempre está meio cheio.

Continue Reading

A felicidade dos sonhos

Eu me peguei escrevendo esse texto várias vezes durante o ano, e sabe o que é mais engraçado? Eu conseguir terminar ele só agora, e ele se encaixar perfeitamente em alguns momentos que estou vivendo.

É engraçado como hoje todo mundo busca sua felicidade e por mais que as vezes a gente se esforce para parecer feliz a gente não consegue nem se ver feliz, não aquela felicidade estonteante, aquela que ilumina todo mundo e faz as pessoas ao seu redor ficarem felizes também. E eu acredito que essa felicidade tem muito a ver com nossos sonhos.

Eu sempre fui uma menina sonhadora, eu cresci lendo contos de fadas, sonhando com principes encantados, fantasiando um mundo lindo na minha cabeça. Eu já tive sonhos de criança, de adolescente, de adultos… E por mais que eu tente ser mais cética hoje | sim eu tento isso todos os dias | eu me pego sonhando, fantasiando de novo.

Não pense que isso é errado, não seja aquela pessoa que diz que só sonha quem está no mundo da lua, que a realidade é dura. SONHE!!

Os sonhos são aquelas faíscas de felicidade que te acordam no dia seguinte e fazem você se planejar para realiza-los. É aquela vontade em dar uma mordida em um donuts cheio de chocolate, aquela sensação gostosa de chuva caindo em dias de verão, aquele sorriso bobo quando alguém te faz um elogio. E tudo isso transborda felicidade.

Duas coisas importantes sobre os sonhos, eles pertecem a você, e somente a você. E as vezes, por mais frustado que você se sinta de não conseguir realizar um sonho, ele está só esperando o momento certo de acontecer.

Vamos falar da segunda coisa primeiro. Eu sempre quis sair do país, fazer intercâmbio, morar fora. Sabe quando eu fui realizar esse sonho? A exatos 3 anos, 5 meses e 22 dias atras. Se eu não tive a chance antes? Tive, nos meus 15 anos. E hoje eu agradeço por eu mesma ter desperdiçado essa chance, porque eu não era madura o suficiente para viver esse sonho. Por isso que eu digo que os sonhos também tem hora para acontecer.

Eu vivi esse sonho em uma fase que eu precisava me encontrar, precisava descobrir quem eu era, que caminho seguir. Viver esse sonho no momento que eu vivi ele foi um divisor de águas, e ali eu consegui estabelecer novos sonhos, projetar novas coisas para minha vida. Não é segredo nenhum para ninguém que hoje, o meu maior sonho, é voltar para Inglaterra, viver lá. Todo mundo sempre me disse que eu parecia muito mais feliz lá, e sabe porque? Porque lá eu era eu, eu me sentia feliz e isso se transparecia para as pessoas da forma mais pura.

A outra coisa sobre os sonhos também tem a ver com felicidade. Muitas vezes esse sentimento que poderia iluminar as pessoas ao seu redor causa outro tipo de sentimento oposto, inveja. Mas eu enxergo essa inveja como frustração. As pessoas se sentem frustadas de verem você realizando seu sonhos, de ver aquela felicidade verdadeira e tentam te jogar no sentimento delas que é a própria frustração de não ter realizado o sonho delas, e é nesse momento que você escuta frases do tipo “você sonha demais”, “desiste que isso não vai acontecer”, “mas você está perdendo isso ou aquilo”, e por ai vai.

Pessoas assim sempre vão existir e eu desejo de coração que você não seja uma delas. Por isso sonhe, sonhe muito, se planeje e principalmente, não se fruste. Como eu disse logo ali, os sonhos também tem seus momentos certos de acontecer. Se ainda não deu, coloca ele ali no cantinho e parte para outro sonho, mas não esquece dele não. Naquele momento mais necessário ele vai te lembrar, vai soltar aquela faísca, vai te fazer transbordar felicidade. Seja aquela pessoa que sabe respirar quando nada da errado, que sabe ver que tudo tem duas faces, a do copo meio vazio e a do copo meio cheio. Veja sempre o copo meio cheio.

Se não realizou seu sonho naquele momento procuro outro que se encaixe melhor, transforme, desenhe, crie um novo sonho. Sonhe de novo, mas nunca deixe seus sonhos virarem sua frustração. Eu queria que nesse novo ano todo mundo tentasse exercitar esse pensamento, não se frustar, pensar positivo, ver o lado bom mesmo quando parece que ele não existe. E principalmente, saber sentir felicidade pelo outro, saber não empurrar para o outro sua frustração.

Hoje quem escreve aqui é uma Fernanda diferente da que começou 2016. Eu tinha sonhos que ficaram no meio do caminho, tive muitas frustrações, momentos em que eu me perguntava porque que o destino me mostrou a vida que eu sempre quis pra mim, me mostrou a felicidade plena e me tirou isso. Acreditem, eu estar escrevendo isso aqui agora me custou muitas conversas comigo mesma, muita evolução pessoal. E hoje eu venho dizer, com uma grande certeza, que tudo tem seu lado positivo. Nada é por acaso, nem os sonhos.

Por isso, que 2017 seja o ano dos sonhos, das realizações da positividade e do respeito.

 

 

Continue Reading

O primeiro beijo

Oi oi gente linda como estão?? Hoje eu tinha programado outro post, mas sabe quando o coração fala mais alto e você muda seus planos?? Então, o post de hoje é assim.

Fazia um tempo que eu queria postar alguns textinhos aqui para vocês, coisinhas bobas que as vezes eu fico pensando ou escrevo. Não sou nenhuma escritora, muito menos uma Bruna Vieira da vida, hahahahaha, mas acredito que todos nós temos palavras que as vezes querem sair de dentro da gente assim, de forma mais bonita.

Ontem eu estava vendo Amor e Sexo, o episódio que perdi de sábado, e fiquei pensando em tanta coisa, no quanto o amor é bonito e o quanto eu gostava de aquele programa pregar aquilo sem preconceitos, sem pudor. Da forma simples que ele é, AMOR!! E é sobre isso o texto de hoje, amor.

O PRIMEIRO BEIJO.

“E aconteceu, molhado, gelado, meio duro, corrido, nervoso. Mas quem foi que disse que não tiveram estrelas e um sorriso que não cabia no rosto?? Primeiro beijo?? Aquilo não foi nada!! Mas foi sim, foi um rito de passagem, foram borboletas no estomago que insistem em ficar até hoje. Ahh, mas ela já havia dado beijinhos quando criança, aqueles de primos, pais, amiguinhos do prezinho… Mas aquele foi O beijo, aquele que mudou tudo, de menina a mulher. Para muitas o primeiro beijo é só algo a ser perdido, virão outros, mais quentes, mais molhados, menos desajeitados, talvez não tão bons… Mas para ela era a certeza que havia sido aquela hora. Nossa, imagina se tivesse sido com aquele amor antigo… não ia ter tido estrelas, mem borboletas…poderia ter sido um beijo mais demorado, mais ensaiado, mas aquele… Aquele tinha sido de repente, entre a vergonha de assumir que era o primeiro e a curiosidade de saber o que era o beijo. E foi assim, o primeiro beijo dela… Corrido, meio gelado, com um olhar timido mas cheio de amor escondido… E foi assim, que um beijo corrido com borboletas e suspiros fez um amor crescer infinito.”

O que eu quero é que vocês lembrem que o amor ele é puro, simples e não tem preconceitos. Acho que a gente está precisando deixar o coração sentir mais, e os olhos julgarem menos.

Quando der e eu ficar inspirada tentarei postar algumas coisinhas que escrever, vou chamar esse quadro de CroniFê, hahahaha.

Espero que tenham gostado =D

Continue Reading