Me conta aqui…Camila Bisson

Hoje finalmente eu estreio um novo quadro aqui no blog, e como eu estou feliz com isso. Pensei nesse quadro com tanto carinho e ver ele sendo realizado me deixa extremamente realizada, ainda mais sabendo que vai passar muita gente linda por aqui.

Bem vindos ao Me conta aqui

A ideia desse quadro é trazer muita gente linda para falar de assuntos variados, organização, planner, viagens, vida, trabalho… Quero poder compartilhar com vocês algumas pessoas que eu sigo, que eu admiro, que eu acho que tem muito o que falar por aqui. Espero muito que vocês curtam esse quadro. Ele pode vir como no formato de hoje, onde a própria pessoa vai escrever seu post contando um pouco de algum assunto, ou em formato de entrevista.

E hoje eu inauguro esse quadro com uma pessoa que, nossa.. Conheci a Ca por acaso no instagram, ela me seguia e eu resolvi stalkear o perfil dela (sim faço isso com frequência com vocês) e descobri o quão talentosa ela é. Não vou falar mais nada, leiam o post dela. E no final, descubram mais uma novidade do blog de agora em diante….


 

Oi pessoal! Tudo bem com vocês?

Meu nome é Camila, tenho 25 anos e moro em São Carlos interior de São Paulo. Sou Ilustradora, Designer e Pesquisadora na área de Games (atualmente faço Mestrado na Universidade Federal de São Carlos). Adoro fazer crochê e ilustrar no meu Bullet Journal nas horas vagas. AMO (sim, com letras garrafais) café e sempre me aventuro na cozinha.

A Ilustração é algo presente na minha vida desde  um momento que ao certo não consigo me lembrar. Lembro apenas de, quando ainda bem pequena, sair correndo pra mostrar pra minha mãe uma serei a que eu tinha desenhado porque era a primeira vez que tinha conseguido fazer uma mãozinha com dedos.

Sabe aquela garota que passa horas e horas nas aulas desenhando no caderno? Eu era essa garota, desde sempre. Desenhar sempre foi algo que me preencheu de uma forma quase que inexplicável. Um hobby. Um amado hobby. Mas mal sabia eu, ao desenhar nos cadernos, a proporção que a Ilustração tomaria na minha vida.

Acho que eu tinha cerca de 15 anos quando comecei a me interessar por fotografia (durante a faculdade cheguei a trabalhar na área). E o que a fotografia tem a ver com tudo isso, além de ser algo que adoro até hoje? Pois bem. Foi a fotografia que me levou a um curso de audiovisual. E foi na faculdade que eu descobri que o hobby que eu tanto amava poderia se tornar a minha profissão.

Foi a paixão pelos games que me fez enxergar que todos os cadernos nos quais eu tinha desenhado sem parar tinham feito toda a diferença. Descobri que criar jogos era algo que eu poderia e queria fazer. Descobri que queria fazer sim arte, mas não exatamente só com uma câmera, mas sim com traços e cores. Também na faculdade descobri minha paixão pelo design.

A certeza se firmou quando comecei efetivamente a trabalhar na área. Em um estágio que durou metade da graduação me encontrei Ilustradora, Designer e Animadora.

Mas a verdade é que tudo aconteceu tão naturalmente que só me dou conta de tais transformações quando paro para pensar e falar sobre isso. E bom, tudo em um trabalho criativo é transformação. Transformação, inspiração e transpiração, claro.

Uma das melhores e piores partes de lidar com a criatividade é justamente a própria criatividade. É absolutamente mágico poder com seu trabalho dar mais cores e alegria para o mundo, mas, ao mesmo tempo, é absolutamente angustiante não ter aquele sopro de genialidade, ou aquela ideia perfeita na hora certa (afinal, sempre achamos que uma ideia não basta, ela deve ser PERFEITA – mas nem sempre é). Sem contar claro, a frustração de imaginar algo absolutamente incrível(!) e na prática não ser bem assim…

Como toda atividade que realizamos na vida, lidar com a arte, mesmo que você ame aquilo que faz, tem seus momentos difíceis.  Mas tudo vale a pena. Tudo vale quando você consegue, com o seu trabalho, dar vida à uma ideia. Lidar com todos os tropeços  e obstáculos do processo é normal! E mais do que isso: é aprendizado. E criar é algo diretamente ligado com aprender.

Aprender todos os dias é meu lema desde que me reconheci Ilustradora: “seja 1% melhor todos os dias” é o que sempre penso. E é esse o motivo pelo qual me esforço todos os dias. Não deixo de pelo menos rabiscar algo um dia que seja, nem de sempre procurar inspirações e referências. Tudo é inspirador: ilustrações, fotos, trabalhos gráficos, jogos, animações. TUDO. E nunca se deve parar de buscar aquilo que vai te fazer ser melhor naquilo que você ama e quer fazer.

Não, eu não acho que sou a Ilustradora que desejo ser. Mas acredito que o processo é assim.  Talvez eu nunca seja e isso é bom. Na verdade, isso é MUITO bom. Não devemos nunca nos bastar naquilo que somos e fazemos, afinal, se acomodar é deixar de aprender. Acredito fortemente que aprendizado é combustível e que nunca sabemos tudo: sempre há algo novo pra se ver e absorver.

 


 

Talvez vocês estejam se perguntando: aonde essa conversa vai chegar? Pois bem, essa conversa terá vários e vários desdobramentos a partir de semana que vem. É com este texto que me apresento pra vocês e inicio uma fase que me deixa absolutamente feliz e honrada: a partir de um convite da nossa querida Fê, vou ser colaboradora aqui do blog! Serão posts quinzenais sobre Ilustração, Design, inspiração, criatividade e claro, Bullet Journal!

Então, espero vocês semana que vem!

Beijo beijo e até a próxima!

 

 

Instagram: @camila.bisson

Twitter: @thesparksoffire

SalvarSalvar

SalvarSalvar

Continue Reading